Já faz um tempo que a sociedade ocidental adotou comportamento que lentamente tem se revelado dominante:  a preservação do meio ambiente e da vida do nosso planeta. Aso poucos estamos sendo levado à produção de bens com danos ambientais reduzidos ou próximos de zero e consumo consciente. Há uma exigência para o consumo de alimentos rastreados da origem a mesa. Somos a cada dia mais impulsionados para reduzir desperdícios, realizar a reciclagem das sobras de nosso consumo e respeitar o próximo.

As empresas de todos os setores se engajarão, cedo ou tarde no processo de ESG – sigla que define garantir: (E – de Enviroment) manter o meio ambiente saudável e equilibrado, (S – Social) ações positivas para a sociedade do seu entorno e até onde sua influência alcance. Respeito à diversidade, à raça e a conduta de igualdade entre os sexos e sobre a sociedade onde atua. (G – Governance) onde a empresa seja conduzida para uma relação ética, equilibrada com padrões de atendimento às leis e códigos sociais estabelecidos de respeito ao próximo com clientes, fornecedores, consumidores e a sociedade.

O conceito de desenvolvimento mudou. Está consumado o caminho pela garantia da vida humano no planeta. Os fundos de investimentos internacionais como os governos de boa parte do mundo reconhecem o perigo do aumento da temperatura do planeta. A opção está em alterar a matriz energética de produtora de carbono para carbono zero. Assim novas energias serão empregadas para produzir bens recicláveis e salutares. As antigas práticas de consumo a qualquer preço tem seus dias contados. Quem produzir destruindo não avançará.

O desenvolvimento local e regional será cada dia mais presente. A tecnologia propiciará uma produção econômica de escala menores. A produção de alta escala para ser econômica a cada dia dará lugar para a produção automatizada, peculiar e sob demanda das regiões. O objetivo é transporte de longa distância para algumas matérias primas, mas a produção do consumo se realizar na localidade e na região. A patentes de processo criativo será mais demandado como a melhora intensiva de educação cognitiva e digital. A educação a favor da alfabetização universal sobre o conhecimento técnico será equilibrada com a formação das humanidades.

O saneamento básico, saúde e habitação seguirão na mesma conduta: universal e não poluente. Os projetos de valorização da água como bem escasso serão relevantes. Tratamento de resíduos e dejetos tomarão a atenção e atitudes da sociedade. Os governos serão obrigados a reconhecer o emprego de propostas de atendimento à saúde da população. Remédios, procedimentos, tratamentos, operações a preço acessíveis. O mesmo acontecerá com as habitações. Haverá um enorme esforço de repactuação fundiária e reurbanização de bairros. O mundo avançará, como sempre avançou desde a era paleolítico. Seguimos entre avanços e recuos.

O que hoje nos diferencia das outras eras? A comunicação. O mundo encurtou a segundos a diferença entre saber o acontece a milhares de quilômetros. Mesmo com a censura em muitos países sabemos o que acontece. O combate a ignorância será vencido pela comunicação. Hoje qualquer pessoa pode ter seu canal de TV. O YouTube oferece esta alternativa. O que diferencia o seu canal dos outros. Alcance pela legitimidade, o volume organizado das informações, emprego de técnicas de registros, a gestão da rede de colaboradores, o impacto de causas e relatos.

Os canais regionais serão mais importantes que as grandes redes nacionais. A revolução dos costumes e comportamento acontecerá na conscientização dos locais. Estarão na difusão dos bons e maus exemplos do cotidiano. O controle dos gastos públicos será aferido com mais frequência e participação da sociedade quanto a prioridades. O nacional será dedicado a política econômica, social e defesa.

O regional determinará o que precisará ser feito. Nesta condição, os elementos de canais regionais de comunicação passam a ter a imensa responsabilidade para agregar os interesses para o progresso. Será fator decisivo para separar as castanhas das suas cascas. Serão a garantia da democracia, preservação de boas condutas e da qualidade de vida de todos.

 

O mundo será melhor com a consolidação da Comunicação Regional.

 

Ronaldo Bianchi

 

Quero falar um pouco sobre os passos curtos da nossa internet, os passos lentos que afetam nossas vidas e bloqueiam nossa capacidade de crescimento, produtividade e competitividade. Certamente dirá que isso não é uma novidade, e de fato não é, mas é preciso insistir nisso, sou otimista.

Enquanto a internet lá fora caminha a passos largos (5x mais largos), sofremos aqui para caminhar a passos curtos com a internet que temos.

A velocidade média da internet na Corea do Sul é de 26MB e nos EUA 16MB, o Brasil ocupa a 19ª posição deste ranking da “velocidade”, com uma banda larga média de 5,5MB.

O Brasil consegue hoje oferecer banda larga com “qualidade” para apenas  37 das mais de 5 mil cidades brasileiras, ou seja, mesmo considerando nossa densidade demográfica os valores são exageradamente contrastantes.
Mas agora vem a surpresa, pois mesmo com este disparate, conseguimos um alcance geográfico milagroso da internet no território nacional de 66%. Segundo o G1, o governo promete chegar a 98% até 2018. É um “pouco” pavoroso já sabermos hoje qual será a qualidade desta velocidade média para um universo de 98% (fonte G1), deixemos acontecer.

Dito tudo isso, um cenário surpreendente é desenhado, isso porque mesmo com esta dificuldade na banda larga brasileira, crescemos 16% no último ano, somos o 6º país que mais cresceu. Nosso consumo de internet no mundo é segundo maior, dedicamos de 4 a 5 horas diárias na rede mundial, não somos um case?!

fonte we are social

Nossa capacidade de fazer muito com pouco é única. É uma pena nosso país viver essa carência de líderes mais sérios e comprometidos com o nosso futuro. Se tivéssemos mais igualdade de competição, certamente daríamos muito trabalho para quem hoje caminha a passos largos na liderança do ranking da velocidade média de internet e claro de desenvolvimento.

Aleandro Stazetto

Em 2015 Nielsen IBOPE divulgou números importantes sobre o comportamento dos brasileiros e seus smartphones. Segundo esse levantamento atualizado em 2016, somos no Brasil mais de 70 milhões de usuários conectados, não pelo computador, mas pelos celulares e tablets.

grafico1

grafico2

grafico3

Do total de usuários:

As redes sociais, serviços de mensagens, e-mail, vídeos, notícias, música e portais são os conteúdos e ferramentas mais utilizados pelos usuários brasileiros de smartphone. Dos vinte aplicativos mais utilizados no Brasil, sete são redes sociais ou comunicadores instantâneos. Na sequência aparecem apps de bancos, e-mail, vídeos e games.

Mais uma vez os números mostram como as empresas devem ficar atentas aos movimentos tecnológicos e suas oportunidades. O futuro é hoje, portanto não há porque esperar para tomar decisões estratégicas básicas. Isso é o mínimo que grandes, pequenos e micro empresários devem fazer. Ações simples como ter um site responsivo (com navegação adequada para computadores, celulares e tablets etc), desenvolver um bom aplicativo (se necessário para o seu negócio) e trabalhar conteúdo de comunicação com relevância e alcance sistemático farão diferença. Para quem fizer a lição de casa, não haverá muitas dificuldades nas novas provas do futuro.

ALEANDRO STAZETTO

post-ronaldo-ti

Passamos do telefone preto com discagem para o Skype no Smartphone. O mesmo aconteceu com computadores, que começaram a ganhar espaço na vida empresarial a partir da década de 50. Com a invenção do transistor, nos anos 60, foi possível reduzir o tamanho dos aparelhos e a criação de outros como: o fax, desktop, telefone celular e mais recentemente os tabletes e os smartphones. A chegada da web associada aos aparelhos e seus programas mudou o mundo. A velocidade foi acelerada. Foram derrubados preconceitos, estabelecidos novos hábitos, novas possibilidades para alterar meios de vida, como mudanças na forma de nos comunicar e escrever. Importantes avanços na biologia e medicina só foram possíveis devido à inovação proporcionados por este conjunto: equipamentos, programas e web. Tudo aconteceu graças a fortes movimentos de inovações. Neste momento, dois dos seis bilhões de habitantes estão plugados de alguma forma em programas digitais. Não há mais espaço para ignorar o movimento da digitalização. Sabemos quando começou e não temos a mínima ideia aonde chegaremos.

O mundo será melhor? Com certeza, o que não significa que será justo. É preocupante a desigualdade educacional, da renda e das oportunidades. Quem se destacará? Como sempre os mais adaptáveis. Darwin explicou ao mundo no século XIX, como os animais e plantas sobreviviam e quais pereciam. A sua Teoria da Evolução explicou que no mundo natural sobreviveriam às espécies mais adaptáveis as mudanças das correlações de forças e fatores do seu do meio ambiente.

O que acontece desde sempre no campo dos negócios? As empresas mais adaptáveis e que serão as mais rentáveis serão aquelas mais inovadoras, comunicativas e que atenderão a sociedade a que servem. Como a digitalização influência nesta complexidade sociedade economicamente? Hoje é mandatório qualquer empresa de todos os tamanhos e setores acelerarem seus processos de gestão através da implantação da TI. Quanto significa em termos de recursos? Hoje as empresas inovadoras e que pretendem alcançar melhores desempenhos, aplicam entre 10 a 18% do seu orçamento na gestão e inovação em TI.

Nas vendas a TI impressiona, como: 1)Nas comunicações entre o cliente e as áreas da empresa. Não existe mais um jeito. Existem diversas aproximações. O cliente distribuidor está plugado no fornecedor, ao ponto deste saber o volume de seu estoque e disparar solicitações de pedidos para a sua própria fabrica desde que autorizado. A indústria montou equipes multifuncionais. O vendedor ou o contato comercial não é mais o tirador de pedidos. Ele atua na promoção, na verificação da qualidade dos displays no ponto de venda e nas condições de armazenamento no cliente. É uma atuação 360º. 2) No comércio, a venda pela web está estabelecida. Não demoliu o modelo tradicional, mas o completa. Ele aproxima o cliente final da marca e dos produtos. Oferece comodidade e agilidade para o cliente. Em alguns setores chega a superar a função presencial, como no caso do setor de livros, mas não elimina a livraria. 3) Na divulgação de lançamentos, na ativação de potenciais mercados e na liquidação de temporadas. Informa, ensina, facilita, cria fidelidade e aprimora ou recupera imagem. 4) A alteração do site passou de uma função de referencia para uma proposta de informação, diálogo e vendas “on iine”. O cliente pode quase tudo, sem intermediários. 5)A propaganda digital a cada dia avança para uma linguagem ao alcance de públicos específicos e na expansão dos negócios a um custo benefício importante para o anunciante. A propaganda é calibrada e os negócios de nicho podem alcançar milhões de interessados. Criando um mercado inexplorado. Vejamos o exemplo das empresas que querem alcançar os jovens. Será pela televisão aberta ou a cabo? Não será. Só o caminho das redes sociais para conversar com este público.

Nas atividades meio, os programas de gestão integrada (ERP) são indispensáveis desde grandes aos pequenos negócios. Há programas para empresa de qualquer tamanho, a custos compatíveis. Conhecer o desempenho em tempo real é fundamental para a sustentabilidade e sucesso empresarial. A digitalização mudou a contabilidade. Passou de uma função fiscal para atitude gerencial. Esta é a proposta do ERP e de programas correlatos. A capacidade de montar indicadores de desempenho está à mão de qualquer empresário ou gerente de área. Acabou-se o tempo do achismo. Passamos para o tempo da assertividade. Onde a informação deve ser precisa.

A TI passou a ser parte integrante da produção da empresa. Precisa ser tratada como uma área onde há duas subdivisões; 1) Uma operadora, dedicada ao fazer funcionar. Acelerar processos e eliminar inconsistências, afinal o “bug” faz parte da vida em TI. 2) Outra, inovadora, programada para demolir a proposta atual, incorporando inovações.

Outra informação importante, qual é o tempo médio de renovações do conhecimento nesta área? No campo do software há reformulações significativas a cada quatro a seis meses. Os programas são aprimorados e atualizados nesta faixa de tempo. Qualquer solução deve ter como visão esta perspectiva.

As áreas de negócios, produção, gestão e TI estão interligadas. Não há uma separação entre elas. O fazer um produto está vinculado na qualidade de vender, entregar e cobrar. São atividades que implicam em um diálogo constante e corresponsabilidade entre si. Todas as áreas precisam se harmonizar para alcançar o sucesso. Caso contrário o fracasso não se resume a má operação de uma individualmente. O jogo é jogado em conjunto. Não existem mais espaços para jogos individuais. Ou todos ganham ou perdem. O movimento vitorioso é o da integração, diálogo e velocidade. Só uma empresa digitalizada poderá alcançar esta possibilidade.

O momento é de quem chegar primeiro. O importante é ser suficientemente bom para abraçar a oportunidade e não o melhor. É ser o primeiro deixar a concorrência na ponta da cauda.

Ronaldo Bianchi