Desde o começo do ano, a Secretaria de Estado da Cultura está envolvida com as celebrações do Ano da França no Brasil e promove diversas atividades culturais em suas instituições. Neste semestre, o tema aparece principalmente em exposições relevantes, como Matisse Hoje, que entra em cartaz na Pinacoteca do Estado de São Paulo, dia 5 de setembro. É com orgulho que o Governo do Estado recebe esta mostra, ainda mais, porque é a primeira vez que as obras do artista francês são expostas no Brasil.

Matisse Hoje exibirá cerca de 80 obras entre pinturas, esculturas, desenhos, fotos, documentos e livros ilustrados de Henri Emile Benoit Matisse, considerado um dos principais pintores do século 20 e um dos mais importantes da arte moderna. Giulio Carlo Argan, influente historiador e teórico da arte, costumava dizer que “a arte de Matisse era feita para decorar a vida dos homens”. A exposição pretende mostrar o processo criativo do artista, propondo um percurso retrospectivo que aborda os temas fundamentais da sua trajetória: a cor, a linha, o arabesco e o espaço. Essa exposição, que segue até 1º de novembro, é, sem dúvida, uma das principais apostas da Secretaria dentro da agenda do Ano da França no Brasil.

Também merece atenção a parceria firmada entre o Memorial do Imigrante com a Cité nationale de l’histoire de l’immigration (CNHI), museu francês especializado em imigração, que apresentará ao público brasileiro, a partir de 26 de setembro (até o dia 8 de novembro), parte de sua exposição permanente Repères, que aqui no Brasil ganhou o nome de Pontos de Referência. Duas salas do Memorial do Imigrante serão ocupadas por documentos e obras de arte contemporâneas da Cite, que buscam dar um novo olhar sobre a história da imigração na França e o envolvimento dos imigrantes no desenvolvimento econômico, na evolução social e na vida cultural do país.

A Secretaria investe em uma agenda continuada, sendo assim outras exposições relativas às comemorações seguem em cartaz. O Museu da Imagem e do Som, por exemplo, oferece Staring Back até 27 de setembro. A mostra é composta por 200 fotografias em preto e branco do fotógrafo, diretor de cinema e escritor francês Chris Marker.

O Museu da Casa Brasileira exibe a exposição de design francês e brasileiro Ícones do Design – França/Brasil, em cartaz até 20 de setembro. A mostra reúne produtos que representam o universo do design dos dois países ao longo de 15 anos. Vale conferir a Chaise longue LC4, do arquiteto suíço Le Corbusier, Pierre Jeanneret e Charlotte Perriand; a calçada de Copacabana, com redesign de Roberto Burle Marx; a caneta Bic; as sandálias Havaianas; entre muitas outras peças.

Outra dica que considero imperdível é a exposição temporária O Francês no Brasil em todos os sentidos, que fica em cartaz até 4 de outubro, no Museu da Língua Portuguesa. Nela, além do ponto de contato entre as línguas francesa e portuguesa e as culturas dos dois países, é possível perceber a influência do francês no nosso idioma, em palavras como menu, bufê, crochê, tricô, maiô…

A Secretaria de Estado da Cultura acredita que as trocas culturais promovidas pelos dois países são enriquecedoras tanto para a classe artística, como para a população. O Ano da França no Brasil teve início, oficialmente, em 21 de abril, e segue até 15 de novembro. A programação completa das atividades pode ser encontrada no site www.cultura.sp.gov.br.

Ronaldo Bianchi

0 Comentários

Deixe um Comentário

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *